quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Turismo, Ambiente e área social: "Cubatão e a região ganham novos aliados no governo estadual"

Para prefeita de Cubatão, escolha de representantes da região para essas secretarias faz prever futuro promissor

Recém-anunciadas pelo Governo Estadual, as nomeações de três personalidades políticas da Baixada Santista para o comando das Secretarias do Meio-Ambiente, de Assistência e Desenvolvimento Social e da nova pasta do Turismo são saudadas pela prefeita Marcia Rosa como oportunidade de importantes parcerias do governo estadual com Cubatão e demais municípios desta região metropolitana.

Para Marcia, os novos secretários estaduais Márcio França (Turismo), Bruno Covas (Meio-Ambiente) e Paulo Alexandre Barbosa (Assistência e Desenvolvimento Social) conhecem os potenciais e os desafios desta região, principalmente neste momento às vésperas das grandes transformações previstas com a exploração petrolífera do pré-sal na Bacia de Santos.

Sobre a nomeação de Márcio França, a prefeita nota que Cubatão bem compreende a nova importância do Turismo como a "indústria do século XXI", tendo inclusive previsto em sua reforma administrativa a criação de uma secretaria específica. O município vem desenvolvendo produtos turísticos que interessam a toda a região e ao Estado, como fontes de emprego e renda para os cidadãos e como formas de divulgação positiva de São Paulo, a exemplo do Festival de Tradições Nordestinas Cubatão Danado de Bom, que foi noticiado em sites nas Américas, na Europa e na Ásia e poderá em breve integrar o calendário oficial do Estado de São Paulo.

Lembrando que Cubatão é a única cidade da região sem o título de estância turística, Marcia tem a certeza de que vai contar com o apoio do novo secretário para a consolidação das possibilidades que o município tem a oferecer, em turismo ecológico, histórico, ambiental, cultural, de aventuras e até o inédito turismo industrial.

Exemplo - Já com relação a escolha de Bruno Covas para titular da pasta ambiental paulista, a prefeita lembra que "neste século, as sociedades promovem um intenso debate sobre como conciliar preservação ambiental e desenvolvimento. Como cidade-símbolo mundial da recuperação ambiental, assim reconhecida em 1992 pelas Nações Unidas, Cubatão encara o tema como assunto resolvido, ao demonstrar amplamente essas possibilidades".

Observa ainda que Cubatão, "principal pólo industrial brasileiro, único a contar com siderúrgica e refinaria, está inserido nas áreas ambientais da Serra do Mar e do Manguezal, onde os ambientalistas – e particularmente os observadores de pássaros - identificam uma biodiversidade superior à encontrada no Pantanal Matogrossense. E, o mais importante: aqui, este ecossistema vem se enriquecendo a cada ano. Com garantias de preservação, uma vez que mais de 60% do território cubatense é constituído por áreas de conservação ambiental".

Para Marcia, existem "desafios pontuais, tanto nos aspectos sociais como nos ambientais, como a ocupação das encostas da Serra do Mar, ou os despejos da represa Billings. Mas – completa ela – é justamente a sua presença no comando desta secretaria estadual o que mais nos tranqüiliza, por termos a certeza de sua sensibilidade para com as peculiaridades regionais, que bem conhece".

Resgate social – O tema dos desafios sociais também foi destacado pela prefeita com relação a Paulo Alexandre Barbosa, que acaba de ser confirmado como secretário estadual nesta área: "Bem sabe quão importante para nós é o resgate social de um grande contingente populacional, numa cidade que tanta riqueza deu ao Estado e ao País nas últimas décadas, mas não teve participação nessa riqueza, que apenas viu sendo escoada pelas estradas que cortam a região. Na verdade, além de tudo sofreu muito e ainda sofre as conseqüências dessa enorme dicotomia social e econômica: a região economicamente mais rica é também a socialmente mais necessitada do apoio dos entes federativos".

Marcia Rosa completou: "Nossas políticas públicas são orientadas para que o cidadão reencontre sua dignidade através do trabalho que lhe permite o sustento e ascensão na comunidade em que vive. Esse esforço pela inclusão social passa também pela capacitação profissional para que possa ingressar no mercado de trabalho ou a ele voltar, bem como pela geração de oportunidades de emprego através do estímulo às forças produtivas regionais, e ainda o necessário apoio social à reintegração familiar e recuperação da auto-estima do cidadão".

Carlos Pimentel Mendes – MTb. 12.283-SP
20101229-GP-MAmbienteTurismo-CPM.doc

Nenhum comentário: